"Nem esquerda nem direita": Denise Fraga critica o capitalismo e defende o "humanismo"

  • Por Jovem Pan
  • 31/07/2018 14h13
Jovem PanAtriz está atualmente em cartaz no teatro em São Paulo

A atriz Denise Fraga esteve no programa Pânico nesta terça-feira (31) para divulgar seu novo trabalho, o Visita da Velha Senhora, espetáculo que estréia nesta semana no Teatro Sérgio Cardoso em São Paulo. Ao detalhar os conflitos apresentados nessa “comédia trágica”, segundo suas próprias palavras, ela fez alguns paralelos da história – escrita em 1956 pelo suíço Friedrich Dürrenmatt – com a nossa sociedade atual.

“Essa coisa de discurso de injustiça travestido de justiça me tira do sério. Temos falado muito do que é justo e pouco do que é generoso (…). Estamos vivendo uma epidemia. Estamos meio doentes. O capitalismo deu certo? Não! Olha a quantidade de Rivotril! Olha o tanto de farmácia, buteco, pet shop! Não é verdade? Ninguém tem mais filho, só tem cachorro e gato”, brincou, continuando sua linha de pensamento em seguida.

“Os tempos estão nos avisando que estamos muito esquisitos. Temos que fazer um esforço. Exercitar a humanidade. Não é questão de esquerda ou direita, mas humanismo. Existem famílias inteiras vivendo na rua e achamos que está tudo bem. Como um governante consegue achar que isso não é uma urgência? Vamos nos distanciando da nossa natureza de convívio nessa vida de ‘cada um por si’ e ficando com um buraco no peito. E dá-lhe remédio. Estão medicando criança achando que todo mundo hoje tem DDA. Tem que ter mais esforço pessoal. Minha tentativa no teatro é essa. Acho que a arte pode modificar vida das pessoas”, completou.

A sinopse do espetáculo revela um enredo aparentemente simples. De acordo com ela, os cidadãos de Güllen, uma cidade arruinada, esperam a chegada de uma milionária que prometeu salvá-los da falência. No jantar de boas-vindas, Claire Zachanassian impõe a condição: doará um bilhão se alguém matar Alfred Krank, o homem por quem foi apaixonada na juventude e que a abandonou grávida por um casamento de interesse. E a trama se desenrola a partir daí.

“Inicialmente os cidadãos rejeitam a proposta e ela fala: ok, posso esperar. Se hospeda no hotel da praça e fica vendo o que acontece nos próximos dias. Acho louco isso. Tenho muita angústia dessa justificativa de tudo por dinheiro. Não podemos ser hipócritas, nos vender todos vamos. Temos que pagar o leite das crianças. Isso tem a ver com o grau de miséria. O Bertolt Brecht questiona o seguinte: a ética resiste à fome? Se meus filhos passassem fome, eu não roubaria um saco de feijão no mercado mesmo sendo contra meus princípios? Só que fomos nos acostumando a justificar tudo todo o tempo (…). Estão roubando nosso pensamento. Essa peça mais uma vez me faz acreditar no teatro como potencial de fazer a gente se reconhecer, ter ciência da imperfeição humana. Me faz pensar no quanto uma peça pode modificar uma pessoa”, finalizou.

Com direção geral de Luiz Villaça, Visita da Velha Senhora foi adaptada pela própria Denise junto com Christine Röhrig e Maristela Chelala, sendo que essa última também integra o elenco ao lado de Tuca Andrada, Fábio Herford, Romis Ferreira, Eduardo Estrela, Renato Caldas, Beto Matos, David Taiyu, Luiz Ramalho, Fernando Neves, Fábio Nassar e Rafael Faustino. A peça terá sessões nas sextas-feiras às 21h, nos sábados às 17h (especial com libras e áudio-descrição para acessibilidade) e às 21h e nos domingos às 18h. Ingressos e mais informações podem ser encontrados no site do estabelecimento.