“O funk está menos careta que o rock”, acredita Tico Santa Cruz

  • Por Jovem Pan
  • 08/11/2017 14h20
Johnny Drum/ Jovem Pan

Com 20 anos de estrada, o Detonautas se consolidou como uma das grandes bandas de rock nacional e conseguiu garantir o seu espaço ao longo dos anos. No Pânico na Rádio desta quarta-feira (8), Tico Santa Cruz e Renato Rocha falaram sobre a tendência do rock de não se misturar com outros gêneros musicais e como isso tem tornado o ritmo ainda mais fechado.

“O rock se restringe muito ao não se abrir para não se misturar com outros estilos. Esse purismo se tornou conservador”, avaliou Tico Santa Cruz. “O funk está menos careta do que o rock”, comparou.

Para os músicos, uma forma de tirar o gênero de seu próprio círculo é através de parcerias com outros ritmos que estão dominando – e eles já estão atrás disso.

“Com a forma que o mercado funciona, principalmente por causa da internet, tem que se misturar pra ganhar visibilidade e estamos buscando essa parceria, mas não encontramos ainda”, falou Tico.

Tico e Renato afirmaram que essa futura parceria não é uma “estratégia” para aumentar as vendas, mas sim uma maneira de “abrir a cabeça”. “A música brasileira é cheia dessas misturas. Não vejo problema nenhum desde que a gente se emocione com estamos fazendo”, declarou Renato.

“Tentamos buscar solução ao encontrar parceiros em outros estilos, mas que mantenham a essência do que a gente faz para não perder a identidade”, destacou Tico.

Política

Como não poderia deixar de ser, Tico Santa Cruz falou sobre suas opiniões políticas e lembrou da vez em que recebeu ameaças por expressar suas visões nas redes sociais. O cantor cogitou deixar o país depois que a família foi ameaçada de morte.

“Na época eu procurei a secretaria de direitos humanos para conseguir auxílio do poder público para me proteger”, lembrou. “Minha posição como artista e pessoa pública incomodou um setor que estava disputando o poder e quando incomoda alguém você corre risco”, falou.

O momento de aflição ensinou Tico a ter mais cautela na hora de expressar suas opiniões políticas. “Vamos amadurecendo e entendendo como melhor se colocar”, avaliou.