Oscar Magrini lembra convite para “teste do sofá”: "sempre teve, tem que saber se posicionar”

  • Por Jovem Pan
  • 24/08/2017 14h36
Johnny Drum/ Jovem Pan

Com uma carreira de 27 anos, 33 novelas, 21 peças e 20 filmes no currículo, Oscar Magrini não escapou do famoso “teste do sofá” quando estava começando a vida de ator. No Pânico na Rádio desta quinta-feira (24), ele lembrou das vezes que isso aconteceu e afirmou ser algo normal no meio artístico: “sempre teve isso aí [teste do sofá], mas não tem nada a ver, cada um tem que se posicionar”.

Ele afirmou considerar que vender o corpo é “fracasso”. E garantiu que há quem se gabe da posição de destaque que ocupa na TV: “tem muita gente que se vangloria por estar na Globo ou em outras emissoras e pode dar uma cantada, mas vai de cada pessoa assentir ou não”.

O ator ainda condenou a existência da prática para conseguir trabalhos de destaque. “Tem que ser pela sua performance, trabalho, tem que mostrar serviço”, defendeu.

Longe da TV desde o fim de “Malhação – Pro Dia Nascer Feliz”, Oscar Magrini está se dedicando aos palcos. Ao lado de Leona Cavalli, ele estrela a peça “Gatão de Meia-Idade”, que está sendo montada para o teatro pela primeira vez.

Ao brincar sobre sua semelhança com o personagem por conta da idade, o ator disse que encara o envelhecimento de peito aberto.

“O segredo é saber envelhecer e viver com qualidade”, disse ao destacar que pratica exercícios para manter o corpo. “Nunca tive medo [de envelhecer], a juventude está na cabeça”, falou.

Em “Gatão de Meia-Idade”, Oscar interpreta um cinquentão recém-separado que, como ele mesmo definiu: “está preocupado em mostrar que é capaz da conquista. Ele tem que se auto afirmar“.

“Gatão de Meia-Idade”, adaptação das tirinhas de Manuel Paiva, estreia nesta sexta-feira (25), no Teatro J. Safra, em São Paulo. O espetáculo acontece às sextas às 21h30, sábados às 21h, e domingos às 20h. A temporada vai até dia 14 de outubro.