Pedro Cardoso pede que artistas defendam posições: ‘Se desagradar o empregador, melhor passar fome’

  • Por Jovem Pan
  • 19/06/2019 14h08
Jovem PanPedro Cardoso foi o convidado do Pânico nesta quarta-feira (19)

O ator Pedro Cardoso incentivou que os artistas defendam suas posições políticas e ideológicas, mesmo que elas vão contra as empresas para quem trabalham. “É melhor dar a opinião e, se ela desagradar um possível empregador, passar fome”, afirmou em entrevista ao Pânico, nesta quarta-feira (19).

Contratado pela Globo por 35 anos, Pedro Cardoso disse que sempre teve liberdade na emissora. “Eu trabalhava na Globo com uma liberdade rara de se encontrar”, contou. Ele deixou o canal em 2014. “Não tive uma divergência artística com a Globo, foram decisões administrativas deles”, explicou.

Bolsonaro

Politicamente, o artista se posiciona contra o presidente Jair Bolsonaro e o que ele representa. “O Bolsonaro é um acidente histórico, não merece cinco minutos do meu tempo”, disse, destacando que se interessa pelos eleitores dele. O ator também criticou o lema do presidente, que diz que Deus está acima de todos. “Eu não sou obrigado a viver debaixo da compreensão de Deus de ninguém. Deus não está acima de quem não acredita nele, só de quem crê nele”, declarou.

Cardoso ainda afirmou que o país está flertando com o fascismo. “Eu não imaginava que o Brasil tivesse uma possibilidade tão grande de acreditar num regime fascista”, lamentou.

Ele, no entanto, fez questão de ressaltar que também se indignaria contra um regime de esquerda com o qual não concordasse. “Se eu fosse um chinês, provavelmente estaria preso, não aceitaria o regime de esquerda”, disse. “Quando o povo da Venezuela negou ao [ditador Nicolás] Maduro maioria no parlamento, ele deu um golpe de estado. Não posso compactuar com isso.”

Mesmo com posições declaradas, Pedro Cardoso é a favor do diálogo. “Não tenho prazer em agredir alguém, mesmo quem pensa radicalmente diferente. Eu odeio o Bolsonaro, mas tenho bons amigos que votaram nele”, disse. “Eu não perco afeto por quem pensa diferente de mim, isso é uma mediocridade”, resumiu o ator.