“Prisão do Lula é condição indispensável para a sobrevivência do Brasil”, diz Villa

  • Por Jovem Pan
  • 14/12/2017 14h20
Johnny Drum/ Jovem Pan

Com o julgamento de Lula marcado para 24 de janeiro de 2018, Marco Antonio Villa já traçou qual deve ser o destino do ex-presidente no próximo ano e, principalmente, sua prisão. No Pânico na Rádio desta quinta-feira (14), o historiador avaliou que a condenação de Lula é o que o Brasil precisa para continuar respirando.

“A prisão do Lula é condição indispensável para a sobrevivência do Brasil. Ele sabe que vai ser condenado, vai pra cadeia e depois dele outros também irão”, afirmou ao traçar os acontecimentos.

Para Villa, a pena de nove anos e meio dada por Sergio Moro deve ser acatada, mas o ponto de conflito será uma decisão do STF, que pode “tirar Lula da cadeia”.

“Em março [o STF] revoga a decisão de que o condenado em segunda instância pode recorrer na cadeia e [Lula] vai recorrer livre. Aí é humilhação porque vai tirar ele da cadeia e deixar ele concorrer [à presidência]”, observou. “O STF é nocivo para a democracia”, pontuou.

Ao falar sobre a grade de pré-candidatos à presidência, Villa afirmou que o cenário deve mudar muito até o 1º turno. “As condenações da Lava Jato, as novas operações e denúncias mudam o quadro eleitoral”, falou.

O comentarista da Jovem Pan ainda procurou explicar como o País “chegou nessa situação terrível”. Para ele, o responsável foi o “processo de transição do regime militar para a democracia” e, agora, o sistema de República não tem mais como ser salvo.

“Não conseguiram construir instituições realmente democráticas”, apontou. “Se não destruirmos as oligarquias não teremos democracia e essa elite tem que ser destruída no sentido político”, disse.

“O sistema está podre. A República e a Constituição já deram o que tinha que dar. Não adianta eleição, o sistema está destruído. Precisamos alterar o sistema com novas leis e constituições sólidas”, finalizou.