Rogéria lembra “esnobada” em Marlon Brando: se acontecesse seria "só para publicidade”

  • Por Jovem Pan
  • 28/03/2017 14h21
Johnny Drum/ Jovem Pan

Uma das grandes artistas nacionais, Rogéria, “personagem artístico” de Astolfo Barroso Pinto, está completando 50 anos de carreira em 2017 e, para comemorar, ela passou pelo Pânico na Rádio nesta terça-feira (28) para relembrar algumas de suas melhores histórias.

Um de seus “casos” mais memoráveis é o chega para lá que deu em Marlon Brando, quando o ator estava filmando “O Último Tango em Paris”. Rogéria encontrou com o galã em uma das mais badaladas boates de Paris. “Quando o vi sentado, pensei, ‘que uó’”, lembrou ao dizer que ele estava meio “acabado”.

“Ele passou por mim, desceu e parou. Acho que ele estava pensando que eu iria até ele. Pensei: ‘se tivesse um fotógrafo e eu fosse lá, tirasse uma foto e mandasse pro Brasil?’. Mas eu não sou esse tipo de gente, então fiquei na minha. Era só para uma publicidade e se fosse para isso eu gostaria, mas não aconteceu”, contou.

Hoje, completando 50 anos de carreira, Adolfo contou sobre o seu começo como cantora, quando deixou o Brasil já com reconhecimento e foi para a Espanha. Lá, foi a primeira vez que lhe sugeriram uma cirurgia para mudança de sexo.

“Só trabalhava quem era transexual. A polícia alertou que eu teria que entrar de homem com a cara pintada para me apresentar e me sugeriram a mudança de sexo. Eu sou a favor, mas eu não sou transexual. Eu sou Astolfo Barroso Pinto, que recebe Rogéria como personagem artística”, explicou.

Foi quando se mudou para Paris logo depois que ele passou a assumir as características femininas. “Não que eu quisesse ser uma mulher, mas o cabelo cresceu e eu aproveitei. Paris me deu seios e cabelo, mas eu sou Astolfo Barrosa e sou muito feliz”, afirmou.

Com isso, Adolfo rebate o rótulo de transgênero, mas o defende. “Eu sou Astolfo, o Rogéria, mas se eu tenho o direito de me vestir de mulher todo mundo tem o direito de fazer sua operação”, falou.

Para comemorar a trajetória como artista, Rogéria vai ganhar um documentário sobre sua história, intitulado “O Rogéria”. Para 2017, Adolfo está em cartaz com o espetáculo “Estrelíssima Rogéria”, em São Paulo e Recife, em que “faz de tudo em um único show”.