Selton Mello revela que não pretende voltar às novelas e diz: “elas pioraram”

  • Por Jovem Pan
  • 01/09/2017 14h39
Johnny Drum/ Jovem Pan

Há 17 anos longe das novelas, Selton Mello não pretende retornar à teledramaturgia tão cedo. Em conversa com o Pânico na Rádio nesta sexta-feira (1), o ator declarou que encontrou seu lugar no cinema e deu sua opinião sobre os recentes projetos da Globo.

“[A Globo] ainda me liga, mas não faço novela desde 2000 e isso foi uma escolha minha, de fazer coisas mais curtas e dinâmicas. E, vamos combinar, as novelas pioraram”, opinou.

Apesar de ter elogiado “A Força do Querer” e a cena de revelação da personagem Ivana, Selton disse acreditar que o nível das tramas sofreu uma queda com o passar dos anos: “se pensar ‘Roque Santeiro’, ‘Saramandaia’… eram novelaços. Super bem escritas e dirigidas”.

Seu retorno à Globo, no entanto, já tem data marcada: janeiro de 2018 na minissérie “O Alienista”. E além do projeto, Selton também estará na série original da Netflix, inspirada na Lava Jato e dirigida por José Padilha.

“Aguardem tiroteios tradicionais [de Padilha]”, adiantou sobre a série. O ator ainda admitiu que pretende estrelar filmes para a Netflix, e explicou porque escolheu o cinema como sua arte favorita.

“O cinema foi onde eu me encontrei”, falou. “É onde a gente faz algo que fica pra sempre. Eu não dou um passo sem alguém me falar de ‘O Auto da Compadecida’ e o filme é de 20 anos atrás”, exemplificou.

Seu mais novo projeto no cinema, inclusive, já conquistou números impressionantes. Há 4 semanas em cartaz, “O Filme da Minha Vida” está entre os 10 filmes brasileiros mais vistos em 2017 e Selton interpretou o sucesso.

“É um filme gentil que faz bem assistir. Vivemos em uma época desgracenta e é um filme doce”, disse sobre a obra que atuou e dirigiu. “É um filme que celebra a família e uma história que todo mundo se identifica”.

Questionado se pretende tentar uma carreira internacional, o ator ponderou: “tem que acontecer naturalmente. Não vou lá tentar do zero. Se acontecer algo aqui que role algo lá as coisas vão acontecer naturalmente”.