Ex-BBBs Viegas e Nayara ajudam vítimas de prédio que desabou em SP

  • Por Jovem Pan
  • 03/05/2018 15h44
Reprodução/InstagramImagem compartilhada pela jornalista em sua página

Os participantes do Big Brother Brasil 18 Nayara de Deus e Viegas de Carvalho estiveram na região central de São Paulo nos últimos dias prestando auxílio aos moradores do prédio ocupado por um movimento de luta por moradia que desabou após pegar fogo. Ambos compartilharam os registros em suas redes sociais.

Nas imagens, eles conversam com as vítimas, mostram a situação em que a área se encontra e pedem doações de alimentos, barracas, roupas e produtos de limpeza e higiene.

“PRECISAMOS DA SUA AJUDA! Das 8h às 10h da manhã estaremos na saída da galeria do rock (largo Paissandu) recolhendo doações. Procurem a mim ou a Ana Paula da ocupação, fiquem atentos, pois existem pessoas que não fazem parte da ocupação e estão pegando as doações pra vender, é muito triste, mas é real”, escreveu o músico como legenda de um vídeo.

Nayara, jornalista de formação, fez uma cobertura ao vivo do caso nos stories de seu Instagram e posteriormente postou um longo texto sobre o problema da habitação na capital. Confira a íntegra aqui:

Na fria madrugada de hoje ganhei um reforço nas apurações pelo movimento de moradia. No registro você me vê com o Viegas e alguns moradores com quem passamos longas horas.

A administração do município cedeu um galpão para abrigá-los, mas, parte das 50 famílias que perderam tudo ainda resiste sem qualquer acomodação adequada, no Largo do Paissandu, a fim de chamar a atenção dos órgãos competentes para a necessidade de projetos de habitação para quem mais precisa, como reza a cartilha de nossa Constituição.

Sim! Porque o dever de sanar com o déficit habitacional é constitucional.

A cidade de São Paulo tem mais de 254 mil prédios abandonados. Edifícios que não cumprem com a função social que deveriam: a de “habitar”, ou, servirem de moradia para PESSOAS. Enquanto isso, estudos indicam que 203,4 mil unidades habitacionais bastariam para solucionar a necessidade por moradia. Ou seja: esses imóveis abandonados, por proprietários que na maioria dos casos não pagam seus IPTU’s, se revitalizados dariam um fim ao déficit habitacional da capital. “Não queremos ser esquecidos num galpão. Queremos casa!”, afirma Rafael, morador com quem conversei essa noite, e que você pode conferir na cobertura de hoje nos meus stories.

Há postos de coleta aceitando doações para dar apoio a esses batalhadores de fundamental importância para pressionar o Poder Público para a luta por moradia com dignidade. Afinal, se mesmo com as ocupações os projetos por habitação do governo tampouco engatinham..imaginem se não houvesse pressão!

Já deu, povo! Não dá mais para sermos tão passivos. O verbo do brasileiro comum é LUTA e acho que já deu para perceber que as autoridades políticas estão sambando em nossas caras…só não se interessam por nós: os maltratados contribuintes.

As informações sobre postos de coleta de doações também estão nos meus stories. Ajude! Por favor! Compartilhe!

Boa tarde a todos.

Abraços!

Na fria madrugada de hoje ganhei um reforço nas apurações pelo movimento de moradia. No registro você me vê com o Viegas e alguns moradores com quem passamos longas horas. A administração do município cedeu um galpão para abrigá-los, mas, parte das 50 famílias que perderam tudo ainda resiste sem qualquer acomodação adequada, no Largo do Paissandu, a fim de chamar a atenção dos órgãos competentes para a necessidade de projetos de habitação para quem mais precisa, como reza a cartilha de nossa Constituição. Sim! Porque o dever de sanar com o déficit habitacional é constitucional. A cidade de São Paulo tem mais de 254 mil prédios abandonados. Edifícios que não cumprem com a função social que deveriam: a de “habitar”, ou, servirem de moradia para PESSOAS. Enquanto isso, estudos indicam que 203,4 mil unidades habitacionais bastariam para solucionar a necessidade por moradia. Ou seja: esses imóveis abandonados, por proprietários que na maioria dos casos não pagam seus IPTU’s, se revitalizados dariam um fim ao déficit habitacional da capital. “Não queremos ser esquecidos num galpão. Queremos casa!”, afirma Rafael, morador com quem conversei essa noite, e que você pode conferir na cobertura de hoje nos meus stories. Há postos de coleta aceitando doações para dar apoio a esses batalhadores de fundamental importância para pressionar o Poder Público para a luta por moradia com dignidade. Afinal, se mesmo com as ocupações os projetos por habitação do governo tampouco engatinham..imaginem se não houvesse pressão! Já deu, povo! Não dá mais para sermos tão passivos. O verbo do brasileiro comum é LUTA e acho que já deu para perceber que as autoridades políticas estão sambando em nossas caras…só não se interessam por nós: os maltratados contribuintes. As informações sobre postos de coleta de doações também estão nos meus stories. Ajude! Por favor! Compartilhe! Boa tarde a todos. Abraços! @viegasoficial #moradia #habitação #habitacion #frentedelutapormoradia #QuemOcupaNãoTemCulpa #ajude #desigualdadesocial #pobreza

A post shared by Nayara de Deus (@nayaradedeusoficial) on