Presidente do Ibope: facada não aumentou nem diminuiu intenções de voto de Bolsonaro

  • Por Jovem Pan
  • 01/10/2018 18h41
FÁBIO MOTTA/ESTADÃO CONTEÚDOCandidato foi atacado durante campanha em Minas Gerais no dia 6 de setembro

O presidente do Ibope Carlos Montenegro conversou com jornalistas após um almoço na Associação Comercial do Rio de Janeiro (ACRJ) nesta segunda-feira (1). Um dos assuntos comentados foi como o ataque à faca a Jair Bolsonaro (PSL) influenciou nas intenções de voto das pesquisas do instituto. E, segundo ele, influenciou pouco.

“Eu acho que a facada não mudou o quadro eleitoral, acho que ninguém vai votar nele por causa da facada, a rejeição que tinha a ele continuou, até a manutenção do número (porcentual) dele por algum tempo mostra que não tirou votos nem cresceu, só reduziu o ódio”, afirmou.

Montenegro ainda disse que as próximas pesquisas do Ibope – divulgadas segunda, quarta (3) e sábado (5) – devem revelar outros impactos, como o das acusações da ex-mulher do militar, das declarações do vice Hamilton Mourão sobre o 13° salário e da retirada de 4 milhões de eleitores do Nordeste pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

“Essa não é uma notícia boa parta o PT. Isso no primeiro turno não tem influência, mas no segundo turno pode ter sim”, destacou.

*Com informações do Estadão Conteúdo